Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


22/07/2014

Nova Maringá se torna modelo em Manejo Florestal no Estado

Google
Fazendo o comparativo, percebe-se que o manejo florestal sustentável se fortaleceu no Estado e mais áreas de floresta nativa foram protegidas do corte raso. Nesse quesito, o município de Nova Maringá tem se tornado modelo na gestão de projeto de manejo sustentável com um ativo de floresta relativamente grande.

Rico em madeira para fins comerciais, a primeira atividade econômica foi, justamente, a exploração madeireira, e hoje se consolidou ainda mais. Em 4º lugar no ranking estadual entre os municípios em que mais foi aprovado projetos de manejo floresta, Nova Maringá demonstra sua potencialidade na extração vegetal com responsabilidade.

Para melhorar essa situação foi publicado no dia 05 de maio de 2014, no Diário Oficial, a regulamentação do Cadastro Ambiental Rural (CAR). O cadastro é o sistema pelo qual cada proprietário de terra vai informar ao governo quais são e onde estão suas áreas de produção agrícola e suas áreas com vegetação natural conservada. A adoção do cadastro está prevista na legislação do Código Florestal, aprovado pelo Congresso em 2012 e que criou novas regras de proteção ambiental em propriedades rurais.

No Estado de Mato Grosso, a atividade madeireira contribui em grande parte para o desenvolvimento econômico de vários municípios, principalmente na região Médio Norte do Estado. Para o presidente Sindicato das Indústrias Madeireiras do Médio Norte de Mato Grosso (Sindinorte), Claudinei Freitas, Nova Maringá se destaca como a capital da sustentabilidade e que o Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) não tem medido esforços para proporcionar para o setor de base florestal o maior número de projetos de manejos sustentável possíveis.

“Hoje caberia mais três empresas grandes no setor madeireiro, serrando 2 mil m³ por mês, contratando cada uma 100 funcionários. Se tornar uma cidade incubadora de empresas para esse segmento alavancará mais e mais nosso economia, e quem ganhará com isso é o município e o setor de base florestal”, frisou Claudinei Freitas. Com o trabalho da iniciativa privada, houve investimentos de picadores no município e com isso um aproveitamento de 100% do resíduo sólido da madeira, um trabalho de reciclagem dessa madeira que outrora não tinha nenhuma serventia.


Fonte: Revista de Madeira - Remade



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

26/06/2019 às 11:59

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1224 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey