Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


10/06/2014

Utilização de lodo de esgoto na produção de mudas Aegiphila sellowiana Cham

Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal do Espírito Santo, Campus de Jerônimo Monteiro por Fernando Elair Vieira Santos aborda o estudo da Caracterização física e química de substratos com lodo de esgoto na produção de mudas de Aegiphila sellowiana Cham.

Foto ilustrativa - Google

           A produção de mudas florestais com qualidade está associada entre outros fatores, às características e formulações de cada substrato. Com isso, a utilização de resíduos orgânicos urbanos, como esgoto urbano, cujo material é composto basicamente de matéria orgânica e água, é uma alternativa que pode ser viável na produção dessas mudas. Este material, quando processado, resulta em um resíduo denominado lodo de esgoto, que ao ser destinado à produção de mudas de espécies nativas estará reduzindo os danos ao meio ambiente. No entanto, o destino final do lodo de esgoto é um processo que resulta em maiores gastos para as empresas de coleta e tratamento de efluentes, e por isso o descarte geralmente é realizado por meio de deposição em aterros sanitários e incineração.

            Partindo desse princípio, esta pesquisa teve como objetivo testar a eficiência do uso de diversos resíduos e vermiculita, associados ao lodo de esgoto como componente e fonte de nutrientes aos substratos para a produção de mudas de Aegiphila sellowiana, e relacionar as características físicas e químicas dos substratos formulados com a qualidade das mudas. Para isso os substratos foram formulados com diferentes proporções de lodo de esgoto (80, 60, 40 e 20 % ) associado à fibra de coco, vermiculita, palha de café in natura, composto orgânico (esterco bovino + palha de café in natura), casca de arroz carbonizada e casca de arroz in natura além de um substrato com 100% de lodo de esgoto e uma testemunha com 100% de substrato comercial. Foram realizadas análises físicas e químicas dos substratos formulados e dos componentes puros.

            A utilização de diferentes proporções de resíduos contribuiu para a melhoria de algumas propriedades físicas do substrato. O aumento das proporções de lodo de esgoto promoveram diminuição da macroporosidade, aumento da densidade global, água facilmente disponível, água disponível e microporosidade dos substratos formulados. Em relação as análises químicas, o substrato comercial proporcionou as maiores médias para os teores disponíveis de fósforo, cálcio e magnésio além de condutividade elétrica e teor totais de sais solúveis dos substratos.

            O lodo de esgoto proporcionou aumento da fertilidade dos substratos com aumento de teores dos nutrientes, principalmente nitrogênio e fósforo, e do teor total de sais solúveis. De acordo com as características apresentadas, foram considerados mais adequados quimicamente para o desenvolvimento de mudas de espécies florestais os substratos formulados com o composto orgânico. As mudas produzidas com maiores proporções de lodo de esgoto resultaram em maiores médias para altura e diâmetro do coleto. Os tratamentos formulados com composto orgânico, especialmente as proporções de 60 e 80 %, proporcionaram maiores médias para as características morfométricas avaliadas sendo os mais indicados para a produção de mudas de Aegiphila sellowiana. Os maiores acúmulos de nutrientes da parte aérea das mudas foram obtidos no tratamento com 40 % de lodo de esgoto associado com 60 % de composto orgânico. Os nutrientes acumularam na seguinte ordem decrescente de: macronutrientes N>Ca>K>P>Mg>S. 

Trabalho disponível no Site da Biblioteca Digital Florestal:
http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/6782



Fonte: Divulgação - Marina Lotti e Josiane Almeida - BIC: Biblioteca Digital Florestal



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

06/12/2019 às 10:05

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2081 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey